Estimativas de Acidentes do Trabalho da OIT e Estatísticas da Previdência Social

julho 6, 2006

Anualmente, segundo estimativas da OIT, ocorrem no mundo cerca de 270 milhões de acidentes de trabalho, além de aproximadamente 160 milhões de casos de doenças ocupacionais.

(Texto do Portal Fundacentro). Essas ocorrências chegam a comprometer 4% do PIB mundial. Em um terço desses casos, cada acidente ou doença representa a perda de 4 dias de trabalho. Dos trabalhadores mortos, 22 mil são crianças, vítimas do trabalho infantil. Ainda segundo a OIT, todos os dias morrem, em média, 5.000 pessoas devido a acidentes ou doenças relacionados com o trabalho.

Terra Brasilis

(Texto do Portal Fundacentro). No Brasil, em 2003, foram registrados 390 mil casos de acidentes e doenças no trabalho, que resultaram em 2582 (*) mortes de trabalhadores. Esses dados, porém, são parciais, pois refletem apenas o que acontece entre os trabalhadores do mercado formal de trabalho. Ficam fora das estatísticas as ocorrências relacionadas a trabalhadores rurais, servidores públicos e a um enorme contingente de homens e mulheres que exercem atividades para o sustento próprio e de seus dependentes.

(*) Um folder distribuído pelo Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região cita que “A cada duas horas, morre um brasileiro enquanto trabalha”. Basta fazer as contas para perceber que eles não estão longe da verdade, haja visto que um ano contém 8766 horas! Uma cópia do folder pode ser obtida através do link disponibilizado para download no final deste post.

As informações acima constam de matéria publicada no Portal Fundacentro, que pode ser lida na íntegra através do seguinte link:

http://www.fundacentro.gov.br/CTN/
28_abril_2005.asp?D=CTN

Outras Fontes de Referência

Outra boa fonte de referência no assunto pode ser obtida através de artigos publicados pela revista on-line “Ciência e Saúde Coletiva”, disponibilizada pela SciELO (*).

(*) A Scientific Electronic Library Online – SciELO – é uma biblioteca eletrônica que abrange uma coleção selecionada de periódicos científicos brasileiros.

A revista dispõe de estudos mais antigos, como o excelente “Acidentes graves do trabalho na Capital do Estado de São Paulo (Brasil)”, publicado em Fevereiro de 1981. Este artigo aborda as estatísticas levantadas pelo antigo Grupamento de Acidentes do Trabalho (GAT) do INPS, tendo por base acidentes do trabalho ocorridos na cidade de São Paulo, no ano de 1970, correlacionando ainda outras informações disponíveis em anos subsequentes. Note que já nessa época havia um grande interesse na questão dos prejuízos financeiros à Previdência, como evidenciado neste trecho do artigo:

A política de prevenção de acidentes do trabalho vem atravessando uma fase de mudanças contínuas. Saad, ao escrever sobre política social, traça um histórico desta evolução, a partir de 1930 até a atualidade, onde se verifica a constante preocupação com as leis que protegem o trabalhador. Ferreira refere que em 1973, o então Instituto Nacional de Previdência Social (INPS) gastou, no tratamento do acidentado do trabalho, cerca de 70% de sua verba para toda a assistência médica. Clemente apresenta resultados animadores desta política prevencionista.

Aliando-se o artigo anterior a um estudo mais atual, disponibilizado pela mesma fonte em Outubro de 2005 (o artigo “Acidentes de trabalho no Brasil entre 1994 e 2004: uma revisão”), é possível traçar um perfil sobre a questão da Saúde e Segurança no Trabalho no Brasil ao longo destas três décadas. Eis o resumo deste último artigo:

Neste estudo sintetizam-se achados epidemiológicos sobre acidentes de trabalho fatais e não-fatais para populações brasileiras, entre 1994 e 2004, período pós II Conferência Nacional de Saúde do Trabalhador. Os estudos foram identificados em pesquisa nas bases Scielo e Medline, limitando-se a trabalhos completos disponíveis. Verificou-se que embora o coeficiente de mortalidade por acidentes de trabalho seja elevado, entre 1990 e 2003 caiu 56,5%. Todavia, a letalidade aumentou (0,18% em 1970 para 1,07%) até 1999, quando passou a declinar (0,70% em 2003). A incidência cumulativa anual de acidentes de trabalho não-fatais também vem reduzindo, mas discretamente, em especial, para os menos graves. Não houve alteração para os acidentes incapacitantes. Pesquisas populacionais mostram que a incidência cumulativa anual varia entre 3% e 6%. Trabalhadores rurais têm o dobro do risco do que os de área urbana. A construção civil, indústria da celulose, serviços domésticos estão entre os grupos de maior risco para acidentes não-fatais. A subnotificação de óbitos se concentrou entre 70% e 90%. Indica-se a necessidade de uma redefinição das políticas de proteção ao trabalhador tomando como base o conhecimento produzido sobre este evitável problema de saúde.

O artigo conclui afirmando a necessidade de uma estruturação mais coesa nos mecanismos de informação e pesquisa sobre acidentes do trabalho, com maior integração entre os mesmos, como forma de melhor avaliar as reais necessidades e falhas em nosso sistema prevencionista. Sinaliza, porém, algumas mudanças positivas por parte da sociedade, governo e iniciativa privada em torno da importância dos acidentes e doenças ocupacionais, qualificando-os socialmente enquanto forma de violência e levando em conta o seu custo nas atividades de produção e distribuição de bens e recursos públicos.

Notas:

1- As informações publicadas neste post foram obtidas através dos sites Portal Fundacentro e da revista eletrônica “Saúde e Ciência Coletiva”, disponibilizada pela SCieLO. Maiores informações podem ser obtidas nos respectivos sites.

Portal Fundacentro: http://www.fundacentro.gov.br

SCieLO: http://www.scielo.br/scielo.php/lng_pt

Revista Saúde e Ciência Coletiva: http://www.scielo.br/
scielo.php/script_sci_serial/pid_1413-8123/lng_pt/nrm_iso

Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região: http://www.spbancarios.com.br

2- Os materiais para download foram disponibilizados para acesso público nos mesmos sites citados acima.

Documentos para Download

Você pode fazer o download de documentos relacionados a este post através dos links abaixo:

anuario-2004.zip – Resumo do capítulo 30 (acidentes do trabalho) do Anuário Estatístico da Previdência Social 2004, contendo o texto de introdução do capítulo (contendo termos e conceituações), as tabelas dos grupos CNAE e grau de risco de atividades e as tabelas estatísticas referentes ao triênio 2002-2004.

inspecao_seg_saude_trab-2005.pdf – Dados sobre atividades de inspeção de Saúde e Segurança do Trabalho realizadas durante 2005.

diasst_abril2006.pdf – Folder sobre o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho, publicado pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região em Abril de 2006.

acidentes_SP-1981.pdf – Artigo “Acidentes graves do trabalho na Capital do Estado de São Paulo (Brasil)”.

acidentes_do_trabalho-2003-cut.doc – Acidentes e Doenças do Trabalho em 2003: Organização Preliminar de Dados Divulgados pela Previdência Social, editado pela CUT em Abril de 2005.

acidentes_brasil-1994a2004.pdf – Artigo “Acidentes de trabalho no Brasil entre 1994 e 2004: uma revisão”.

Os downloads acima são realizados através de um outro servidor. Caso ocorra qualquer problema para baixar os documentos, entre em contato: carlos.seguranca@gmail.com

About these ads

13 Respostas to “Estimativas de Acidentes do Trabalho da OIT e Estatísticas da Previdência Social”

  1. Valeska Says:

    xxxxxxxxxxx

  2. hudson Says:

    eviar-me estatisticas de acidentes de trabalho no mundo comparado com o brasil. ultima atualização.

  3. hudson Says:

    queria uma estatistica de acidentes em todo mundo comparados com o brasil. O mais atual possivesl.

  4. hudson Says:

    gostaria q me enviacem estatisticas de acidentes em todo mundo os 5 primeiros paises q estão no ranking.

  5. RICARDO Says:

    Estou precisando de informações sobre a situação da segurança no brasil em relação aos outros países na área de eletricidade, se possuirem algo sobre o assunto favor me enviar.
    aenciosamente.
    Ricardo

  6. RICARDO Says:

    Estou precisando de informações sobre a situação da segurança no brasil em relação aos outros países na área de eletricidade, se possuirem algo sobre o assunto favor me enviar.
    Atenciosamente.
    Ricardo

  7. jessika Says:

    eviar-me estatisticas de acidentes de trabalho no mundo comparado com o brasil. ultima atualização.

  8. Jeane Says:

    Preciso de dados estatísticos referente aos numero de acidentes de trabalho no mundo e no Brasil.
    Obrigado

  9. João Loreto Says:

    caros senhores preciso urgente de dados sobre acidentes de trabalho no meio rural, se possível separados por atividades econômicas ( agricultura, silvicultura, pesca, etc) e por tipo de acidentes.

  10. Jowallita kely Says:

    preciso de estatistica de acidene de trabalho ocorridos entre os anos de 2005 á 2009

  11. Nilton Says:

    Prezados, boa tarde!
    Solicito “Estimativas de Acidentes do Trabalho da OIT e Estatísticas da Previdência Social”

    Muito obrigado!

  12. Caroline Says:

    gostaria de materiais de acidentes e videos campanhas de sso,na construção civil e com veiculos automotores e equipamentos moveis e doenças ocupacionais fotos
    Se alguem puder disponibilizar

  13. josé vunge Says:

    preciso material de acidentes e videos sobre acidentes de trabalho na área de construção civil


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: